Fotografia, História, Norte de Portugal, Paisagem & Natureza, Património Edificado & Monumental, Portugal (Terras), Viagens

Amarante: roteiro fotográfico por uma cidade singular banhada pelo rio Tâmega.

Amarante (6)

À “boleia” da minha nomeação para os BTL Blogger Travel Awards 2016, tive a oportunidade de visitar o Centro Histórico da Cidade de Amarante, durante o meu roteiro pela Rota do Românico. Esta foi a minha primeira experiência na planificação de um roteiro por Portugal de vários dias,onde tive oportunidade de visitar diversas experiências fundadas pela História, citando o “slogan” turístico da Rota do Românico. Entre o Porto e Vila Real, esta cidade nortenha causa uma forte impressão a qualquer aprendiz de viajante e fotógrafo andarilho. Por momentos, dá-nos a sensação que estamos numa cidade de montanha do Centro ou Norte da Europa. Amarante é uma pequena grande surpresa. Surpreendeu-me.

amarante-12

Trata-se de uma cidade onde a magnificência do granito não intimida, antes convida a um passeio pelo centro histórico. Atravessa-se a pé pela belíssima ponte granítica de São Gonçalo, padroeiro da cidade, com mais de 200 anos, sobre o rio Tâmega. Esta ponte reconstruída no reinado de D.Maria I, finalizada em 1791, em conjunto com a Igreja e o Convento de São Gonçalo, é o “ex-libris” da cidade amarantina. Tive a oportunidade de visitar o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso (a entrada custa 1 €) e admirar algumas suas obras modernistas. Infelizmente, uma parte da coleção estava na Exposição na Galeria do Grand Palais em Paris. Aproveite a visita ao Centro Histórico para conhecer os inúmeros cafés, esplanadas e confeitarias que servem os célebres doces conventuais amarantinos, como os foguetes, as lérias e as brisas.

amarante-11

São Gonçalo de Amarante, padroeiro do município, fundou este espaço conventual no decorrer da Idade Média. Encontra-se no centro Histórico da cidade. No interior, podemos encontrar a figura do Santo Padroeiro Amarantino. Em 1540, o monarca D.João III (1521-1557) e a sua mulher D. Catarina mandaram reformular o grande Mosteiro, transformando-o num convento dominicano em honra do padroeiro da cidade: São Gonçalo. Segundo a Lenda, o padroeiro concede as meninas, diz o povo, um pretendente se tocarem na figura do santo. Importa referir que as festas em honra deste Santo Casamenteiro ocorrem duas vezes por ano: a 10 de Janeiro data do seu falecimento e no primeiro fim de semana de Junho.

amarante-3

Nesta cidade descobrirá diversas raízes românicas, medievais, maneiristas, barrocas e modernistas. A história da cidade cruza-se com a de Portugal, nomeadamente durante as invasões francesas (1807-1812) ao Norte de Portugal. Os seus monumentos e as suas tradições reflectem a verdadeira encruzilhada religiosa.

Amarante (5)

A actual ponte de São Gonçalo é datada do Século XVIII, substituindo a anterior ponte fortificada da época medieval que fora substituída durante as cheias do rio Tâmega. Como o espaço conventual da Igreja, está associada à figura e à lenda do Santo Padroeiro da cidade: remover enormes pedras, fazer brotar água das pedras e convocar os peixes para alimentar os trabalhadores.

Amarante (1)

No Contexto das Guerras Napoleónicas, em especial da Guerra Peninsular (1807-1814), a Defesa da Ponte de Amarante foi um dos episódios mais marcantes da IIªInvasão do Grande Armée de Napoleão Bonaparte, comandando, desta vez, pelo General Soult. As forças francesas lutaram com os milicianos, ordenanças e voluntários civis das forças do Brigadeiro Silveira, entre 18 de Abril a 2 de Maio de 1809, pela posse desta ponte estratégica que ligava a região do Douro ao Minho (Régua-Guimarães) e da região de Trás-os-Montes (Porto-Vila Real-Chaves). Tratou-se de uma vitória estratégica dos Portugueses em retirada para Trás-os-Montes,apesar da vitória dos Franceses.

amarante-7

No Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso (MMASC) podemos (re)viver a sua obra artística e biográfica deste pintor modernista singular. Em menos de uma década, este jovem amarantino produziu uma obra pictórica que lhe veio a garantir um lugar na História da Arte Moderna. Ao lado dos melhores do seu tempo: Picasso e Van Gogh. Amadeo de Souza-Cardoso (ASC), sem sombra de dúvidas, teve uma carreira fulgurante em tão pouco tempo. Infelizmente, aos 30 anos, faleceu com a doença pneumónica ou Gripe Espanhola, em Manhufe, a sua terra natal.

amarante-13

De uma forma geral, esta visita à cidade de Amarante, durante o roteiro pela Rota do Românico, onde está inserida, despertou-me pela sua importância histórica durante as lutas entre forças luso-portuguesas e tropas napoleónicas na primeira década do século XIX, da sua beleza paisagística e pela monumentalidade do seu património edificado. Como tiveram oportunidade de visualizar, os ex-libris desta cidade da região Norte são a Igreja e Convento de São Gonçalo, a Ponte Barroca e o Museu Municipal de Arte Contemporânea, com obras do artista Amadeu Souza Cardoso.

amarante-9

Viaje,mas devagar. E Aventure-se na região Norte de Portugal, em especial, pela da Rota do Românico!

Texto: Rafael Oliveira  | Fotografia: Oliraf Fotografia

Follow me: @oliraffotografia on Instagram | Oliraf Fotografia on Facebook

Fotografia•Viagens•Portugal © OLIRAF (2016)

Contact: oliraf89@gmail.com

Como chegar

A ligação aérea mais próxima é o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto.  No meu caso, optei por realizar um viagem low-cost entre as cidades do Porto e Lisboa e, de seguida, aluguei uma viatura num empresa de rent-a-car.

Se já se encontra na cidade do Porto tome a direção de Amarante/Vila Real, pela autoestrada A4. Amarante fica apenas a 40 minutos, cerca de 60 km. Poderá sair em duas saídas, devidamente assinaladas: Amarante-Oeste e Amarante-Este. No meu caso, optei pela última.Se quiser optar por uma via sem portagens, pode fazê-lo pela EN15, cerca de 70 km.

A cidade de Amarante é servida por uma Estação Rodoviária, Os operadores são: Rodonorte, Valpi, Transdev e Internorte. Se a escolha for o comboio, toma-se a Linha do Douro (a partir de S. Bento ou Campanhã) até à Livração. A partir daqui, a ligação a Amarante é feita por automóvel.

Onde comer:

Nas proximidades da Casa Valxisto, no concelho de Penafiel, optei pelo Winebar Casa da Viúva é um espaço que combina arquitectura rústica da Aldeia de Quintadona com uma elegante decoração. Aqui podemos provar um bom vinho da região e petiscar umas belas tapas.

Onde ficar:

Casa Valxisto (Country House)

Rua Padres da Agostinha, n.º 233

4560-195 – Freguesia de Lagares Penafiel
(GPS: 41.135686, -8.377872)

Solar Egaz Moniz

Rua dos Monges Beneditinos, n.º 158, Paço de Sousa, 4560-380 Penafiel, Portugal

Tlm: + 351 962 168 254

Para direcções veja a página Localização ou aceda directamente ao google maps.

Coordenadas GPS: Latitude:  41°10’2.40″N  | Longitude:   8°20’34.09″O

Para mais informações:

Câmara Municipal de Amarante

Museu Amadeo Souza-Cardoso

Rota do Românico

Turismo do Porto e Região Norte de Portugal

Escapadinha de 3 dias pela Rota do Românico…

Anúncios
Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s