Castelos & Fortalezas, Fotografia, Património Edificado & Monumental, Reino de Espanha (Terras), Viagens

À descubierta de Alburquerque: uma vila (des)conhecida da Extremadura Espanhola…

AlburquerqueBadajozExtremadura (3)

Viajar em Espanha é cada vez mais sinónimo de visitar duas cidades: Madrid ou Barcelona. É um “crime” ainda não termos visitado estas fascinantes cidades espanholas, dizem-me alguns amigos. Basta, abrir uma página web, uma imagem ou um guia de viagens para perceber a importância de não termos caído em tentação. Eu não gosto de ir aos locais turísticos ditos “obrigatórios”. Ainda não me sinto preparado e não tenho a mencionada “pressão de ir”. De facto, pela minha experiência académica, profissional e pessoal, o Reino de Espanha tem dezenas de cidades e vilas que são merecedoras de uma visita sem pressa e para apreciar o que as rodeia. Alburquerque foi a primeira incursão em terra de “nuestros hermanos”.

Porquê a escolha da (des)conhecida vila de Alburquerque? 

São muitos, e todos eles merecedores de atenção, os “Castillos” existentes ao longo da fronteira luso-espanhola, bem como em todo o Reino de Espanha. Há centenas deles. Isto se acrescentarmos também as fortalezas  que entretanto se fundiram no seio da arquitectura militar medieval, nomeadamente Ciudad Rodrigo, Badajoz, entre outras.

AlburquerqueBadajozExtremadura (1)

Panorâmica da Vila de Alburquerque, vista do castelo.

De Lisboa a Albuquerque são cerca de 270 quilómetros. De Marvão, cerca de 70 km. A vila de Alburquerque está entre a cidade de Badajoz e a vila de Valência de Alcântara, bem no centro da antiga província romana da Lusitânia, na actual comunidade autónoma espanhola da Extremadura. Não vem nos roteiros  turísticos ou guias de viagem tradicionais, como a cidade de Badajoz, mas não precisava de tal distinção para merecer uma visita. É aqui que encontramos um dos mais imponentes – e bem preservados – “Castillos” da região e de toda Espanha (segundo o guia que nos fez a visita guiada gratuita ao recinto), mas a riqueza não é apenas histórica e arquitectónica,mas também paisagística. Dentro do seu  pequeno, mas acolhedor, centro histórico e do recinto muralhado começamos logo por descobrir histórias, pedras e símbolos familiares, de origem portuguesa.

AlburquerqueBadajozExtremadura (12)

Centro Histórico de Alburquerque

Após uma transição serena da planície alentejana e da Serra de São Mamede, deparo-me ao longo do meu roteiro solitário pelo Alto Alentejo com a sinalética da estradas. Indica-nos que já estamos em Espanha. Nesta aventura de aprendiz de historiador, fotógrafo e viajante andarilho, citando Orlando Ribeiro, apercebo-me que a paisagem, a ocupação humana e a gastronomia é a mesma. Só a língua não.  As pitorescas vilas de La Codosera e Valência de Alcântara prende-me o olhar, todavia não me despertam a minha curiosidade fotográfica. Talvez, porque não era esse o objectivo desta incursão à tierra de nuestros hermanos. Alburquerque era o objectivo.

AlburquerqueBadajozExtremadura (5)

Calle do Centro Histórico de Alburquerque

Aventurei-me por esta vila histórica da raia luso-espanhola, com quase seis mil habitantes (2014), localizada nas proximidades da Sierra de San Pedro. Sem recurso a mapas da vila, uma vez que o Posto do Turismo estava fechado (a famosa siesta de nuestros hermanos), aproveitei para “mergulhar” em pleno coração medieval da Vila de Alburquerque, onde, no alto de um monte rochoso, ergue-se o imponente Castillo de Luna. A vida quotidiana, nestas pitorescas vilas, apesar de ficar tão perto da nossa fronteira é completamente diferente do que se vive em Portugal. Durante o percurso pedonal no centro histórico e nos arrabaldes da vila,  apercebo-me da importância histórico-militar desta localidade fronteiriça. De facto, o Castillo de Luna revela a razão da sua existência: praça fortificada para as constantes guerras, querelas politicas e escaramuças travadas ao longo da História entre o Reino de Portugal e de Castela e Leão (posteriormente Reino de Espanha).

AlburquerqueBadajozExtremadura (6)

Castillo de Luna

Um pouco de História…

O Castelo Medieval de Alburquerque foi erguido entre os séculos XIII e XV, tomando a denominação de Castillo de Luna, em virtude de Álvaro de Luna, Mestre da Ordem Militar de Santiago e Condestável do Reino de Castela e Leão, ter residido uma parte da sua vida neste “guerreiro de pedra”. Esta localidade está próxima da fronteira de Portugal, entre Valencia de Alcántara e Badajoz, sendo um aliciante local de poder bélico e estratégico ao longo da história. Em 1166, Fernando II de Castela e Leão concede-o à Ordem de Santiago. Em 1184, as forças muçulmanas recuperam o Castelo. Todavia, em 1217, a localidade e o castelo voltavam, de vez, para as mãos dos cristãos.

AlburquerqueBadajozExtremadura (2)

Escudo de Armas do Senhor de Alburquerque

Durante a visita ao interior do Castelo de Alburquerque (Castillo de Luna) deparei-me com a razão da sua importância estratégica: “vigilante”  da fronteira luso-espanhola. Nunca pensei que tivesse tanta presença lusitana nestas pedras. Vejamos, D. Afonso de Sanches, filho bastardo de D.Dinis foi o primeiro Senhor deste Castelo (andava chateado com o maninho D.Afonso IV). Inês de Castro esteve aqui, enquanto D.Pedro I estava em Ouguela. Em 1580, Alburquerque teve um papel crucial na conquista de Portugal, visto que uma parte do grosso das forças terrestres de Filipe II de Espanha invadiu Portugal por aqui.Mais tarde, durante quase uma década foi uma praça-forte portuguesa durante a Guerra de Sucessão Espanhola (entre 1705-1715), só devolvida com o Tratado de Utrecht. Ainda hoje,  à entrada do Castelo, podemos ver os baluartes em estilo Vauban feito pela engenharia militar portuguesa. Mais tarde, durante a Guerra de Independência Espanhola (1808-1814), foi saqueado pelo temido Grande Armeé de Napoleão Bonaparte, após a defesa heróica da população local. Com a “fratricida”Guerra Civil Espanhola, este Monumento Nacional (1924) foi parcialmente destruído e recuperado anos mais tarde. De facto, o Castillo de Alburquerque é um conjunto de pedras com muitas estórias da História…

alburquerquebadajozextremadura-11

A Torre de Menagem é datada do século XV (1445), mandada construir por Álvaro de Luna, Mestre da Ordem Militar de Santiago.

Este “Castillo” vale pela paisagem que domina e pelo seu interior. Na minha opinião, um dos mais belos e bem conservados castelos de “Nuestros Hermanos”. Sim,porque, os Espanhóis não brincam em serviço quando se trata de proteger e promover o seu património histórico-cultural. Recomendo a visita ao interior da Torre de Menagem, a vista panorâmica para Portugal (Campo Maior e Marvão) e as animações turísticas para os jovens “guerreiros”, organizados por um grupo de jovens locais.

Testemunhos e pequenas testemunhas de uma longa História Secular. Marca e marcos da nossa memória e identidade. Portugal e Espanha  são duas faces diferentes de uma mesma moeda: a Península Ibérica, citando uma obra de José Saramago “A Jangada de Pedra“. Em breve irei disponibilizar mais roteiros, artigos, dicas  e fotografias de viagem no Reino de Espanha. Para já podem “deliciar-se” com as da pitoresca vila fronteiriça de Alburquerque.

Como ir…

PaisagemFronteiraRaiaAlentejo

Estremoz-Albuquerque-Marvão

Se já se encontra na cidade de Estremoz (IP2) tome a direção de Arronches/Monforte, pela N369, até à fronteira de Espanha (Aldeia da Esperança).

Em Espanha opte pela estrada BAV-5004 em direção a La Codosera e depois pela BA-008 e EX-110 que vai dar a Albuquerque.

De Albuquerque a Valencia de Alcântara seguir pela EX-110. De Valencia Alcântara até Marvão seguir pela N-521 e, em Portugal, por N246-1 e depois virar para a N359 (Beirã/Marvão)

Onde Comer…

Neste particular, a minha recomendação vai para o restaurante El Fogon de Santa Maria, situado entre o Castillo de Luna e da Igreja de Santa Maria do Castillo, em pleno coração medieval da vila de Alburquerque. O gazpacho é uma excelente escolha para dias quentes. Já a sobremesa…divinal. Para além da paisagem e do património, a gastronomia da extremadura espanhola conquistou-me pelo paladar.

Onde ficar…

Marvão (16)

Train Spot Guesthouse

39.449046,-7.368704 (ver no mapa)
Estação ferroviária de Beirã/Marvão, Largo da Alfândega
7330-012 Beirã – Marvão
Classificação:  Turismo Espaço Rural
Telefone: +351 245992112

Para mais informações:

Roteiro Fotográfico pelo Alto Alentejo (OLIRAF)

Horário de visita (s) ao Castillo de Luna
Horario. Turnos de visita. INVIERNO (de noviembre a mayo) De lunes a domingo y festivos: Mañana: 11:00 h, 12:00 h y 13:00 h. Tarde: 16:00 h y 17:00 h
HORARIO
Turnos de visita
INVIERNO (de noviembre a mayo)
De lunes a domingo y festivos:
Mañana: 11:00 h, 12:00 h y 13:00 h
Tarde: 16:00 h y 17:00 h

VERANO (de junio a octubre)
De lunes a domingo y festivos:
Mañana: 11:00 h, 12:00 h y 13:00 h
Tarde: 17:00 h y 18:00 h

Para grupos es necesario realizar reserva previa en la oficina de turismo.

TARIFA
Gratuito.

Viaje,mas devagar. Aventure-se além de Portugal! E descubra-se.

Texto: Rafael Oliveira  | Fotografia: Oliraf Fotografia

Follow me: @oliraffotografia on Instagram | Oliraf Fotografia on Facebook

Fotografia•Viagens•Espanha © OLIRAF (2016)

Contact: oliraf89@gmail.com

Standard