Castelos & Fortalezas, Fotografia, Património Edificado & Monumental, Regimento de Artilharia de Costa (RAC), Roteiros Fotográficos, Ruinas

Uma aventura ruinosa pela 2ª Bateria da Parede (Regimento de Artilharia da Costa)

Num instante… o Património!

BatariaRACParede

A seguinte reportagem fotográfica (Fotografia Documental) centra-se nas ruínas da antiga unidade militar do Regimento de Artilharia de Costa (RAC); a 2ªBataria da Parede, localizada em Cascais. De modo a possibilitar ao leitor um conhecimento da importância histórica, estratégica e bélica da Bataria da Parede, considerada ex-libris de artilharia de costa em Portugal, optou-se por realizar breve introdução do Regimento de Artilharia de Costa (RAC), do Plano Barron, a ela subjacente, e uma análise descritiva e pormenorizada sobre o património da 2ªBataria da Parede.

LauraExpo-150

LauraExpo-048

A razão da escolha desta Bateria de Artilharia de Costa deveu-se à sua localização geográfica, à riqueza da sua construção arquitectónica, ao papel que desempenhou na defesa na barra de Lisboa e da Linha de Costa do Estoril, sendo considerada um ex-libris da defesa costa de Portugal.

O que era o Regimento de Artilharia de Costa (RAC)?

RACParede (12)

O Regimento de Artilharia de Costa (RAC) ffoi uma unidade militar criada pelas Forças Armadas Portuguesas, nomeadamente, o Exército Português, após a 2ªGuerra Mundial, através do Plano luso-britânico – o Plano Barron (1939).

LauraExpo-059-2

A sua missão era assegurar a defesa da linha de costa de acesso aos portos de Lisboa e de Setúbal.  Tínhamos ,assim, uma força especializada em impedir o desembarque de uma força convencional apoiadas por unidades navais, nas imediações dos estuários do Tejo e do Sado. As construções decorreram entre 1944 e 1958, estando operacionais corria o ano 1958.

RACParede (4)

O RAC baseava-se em fortificações de betão armado com  baterias fixas localizadas estrategicamente ao longo das costa da Península de Setúbal – Grupo Sul – e da Linha do Estoril – Grupo Norte. Era constituído por um posto de comando, situado em Oeiras, por 8 Batarias com 36 peças de artilharia  naval pesada de origem alemã (Krupp)  e inglesa (Vickers) de diversos calibres (152mm e 234mm) com alcance considerável para a época. Esta unidade militar foi desativada em 1998.

LauraExpo-104

A 2ª Bataria da Parede (Cascais): um património edificado e exemplar único no país…

RACParede (6)

A 2ª Bataria da Parede, situada no Alto da Parede, concelho de Cascais, nas proximidades de Lisboa, pertencia ao Grupo Norte – 1ª Bataria de Alcabideche, 3ª da Bataria da Lage (Oeiras) e 4ªBataria do Forte do Bom Sucesso (Belém) – do Regimento de Artilharia de Costa (RAC). O Grupo Sul era o responsável pela defesa da entrada da foz do Rio Tejo e da Linha de Costa do Estoril, em conjunto com a 5ªBataria da Trafaria e Alpena.  A construção desta unidade militar de defesa da costa sadina iniciou-se entre 1944 e ficou operacional em 1954. O material que compunha a Bataria da Parede, sendo do mais moderno da época em que foi implementada, eram 3 baterias de Vickers 152mm, de fabrico inglês, de médio alcance (10 – 20 km), com os aquartelamentos para o pessoal e respectivo depósito de munições, bem como de um conjunto de bunkers. Importa salientar que as mesmas nunca participaram em situações de conflito, sendo utilizadas, apenas, para exercícios de fogo real.

LauraExpo-068

LauraExpo-072

Nos nossos dias, os canhões da «memória» estão calados pelo Homem e em decomposição pelo tempo. Na memória persistem as estruturas, a arquitectura e a vista deslumbrante que se tem das baterias para a Linha do Estoril.

Utilização Inicial
Militar: Bateria de Artilharia de Costa
Utilização Actual
Cultural e recreativa: marco histórico-cultural
Propriedade
Pública: estatal
Afectação
Centro de Informações e Segurança Militar (CISM)
Época Construção / Autor
Séc. XX /  Plano Barrow

Em certos países, como Gibraltar ou Malta, as autoridades preservam e promovem  o seu património militar para fins turísticos e culturais. Na minha opinião, o Turismo Militar seria um bom exemplo a ser seguido para as nossas baterias do antigo regimento de artilharia de costa (RAC), pois parte delas estão ao abandonadas há décadas num estado deplorável, sendo cada vez mais urgente garantir que a Bateria da Parede, não tenha o mesmo destino. Segundo noticias do ano 2014, o município de Cascais irá executar, em concordância com o Ministério da Defesa, um projecto para este espaço com beneficiação de obras de conservação e beneficiação de equipamentos necessários à sustentação económica de um futuro espaço museológico: o Museu Militar de Artilharia de Costa.  A Bataria da Parede assim o merece.

Panorama BatariaRACVickers152mm

Panorama RAC Parede P&B

Ao longo do ano de 2015, irei realizar mais uma aventura ruinosa pelas ruinas da 5ªBataria da Trafaria (Grupo Sul), onde irei captar o interior dos espaços subterrâneos que fazem deste local, um património impar que deveria, e merecia, ser preservado e posto ao serviço da população local.

 FONTES & BIBLIOGRAFIA

Nuno Valdez dos Santos – “Campo Entrincheirado”, in Dicionário da História de Lisboa, direcção de Francisco Santana e Eduardo Sucena. Lisboa: Carlos Quintas & Associados, 1994: pp. 208-209

EMERECIANO, Jaime – A Artilharia na Defesa de Costa em Portugal. Lisboa: Academia Militar, Dissertação Mestrado em Ciências Militares, especialidade de Artilharia, 2011

Disponível na internet URL:http://comum.rcaap.pt/handle/123456789/7247

Bateria do Outão e Forte Velho do Outão – SIPA: Sistema Informação para o Património Arquitectónico. [Em linha]. [Consultado em 30 Dez. 2014]. Disponível na  internet URL: <http://www.monumentos.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=25039

Texto: Rafael Oliveira (Historiador) | Fotografia: Oliraf Fotografia

All works ©Rafael Oliveira (OLIRAF)

Contact: oliraf89@gmail.com

Standard